quinta-feira, 16 de abril de 2009

Quem banca a pirataria?

Pin It
Artigo muito interessante postado no Meio Bit.

----------------

Quem banca a pirataria? Entre outros, Yahoo! e Telefonica.

Um leitor fez uma colocação muito inteligente outro dia: "Eu não ganho nada baixando filmes, quem ganha são os anunciantes" E é verdade. Os anunciantes e o sites, pois manter um grande portal de torrents custa dinheiro, seja em banda, seja em mão-de-obra e servidores.

Só que as RIAAs da vida não vêem isso. Ontem mesmo na Folha de São Paulo publicou uma matéria que dizia:

O site SeriesBR, que compilava séries televisivas, foi retirado do ar na semana passada. O endereço, hospedado no servidor Blogger, foi removido pelo Google, dono do serviço, a pedido da APCM (Associação Antipirataria de Cinema e Música).

Humm ok. Vamos assumir que o site distribuía filmes, e não séries, que segundo executivos dos canais não é crime, e fica complicado restringir, quando o consumidor PAGA por sua TV por Assinatura.

Estando o site errado, tanto que foi retirado do ar, não é bom se associar com criminosos, correto? Então expliquem o screenshot abaixo:

Em um site banido por prática ilegal, contrariando todas as leis de Direito Autoral, Copyright, etc, temos banners do Speedy e links diretos pro programa de publicidade do Yahoo!.

Além de ser deliciosamente irônico a Telefonica anunciando não ter Traffic Shaping, a tecnologia usada por outras para combater downloads ilegais.

A situação não se restringe a sites brasileiros. Vejam por exemplo no Mininova, um dos melhores trackers de torrents da atualidade:

Na página principal, do lado de links para download de filmes como The Wrestler e Wolverine, um banner arranha-céu da Motorola, que ainda por cima linka para esta página do Mortorokr do U2. Isso mesmo, o U2 está anunciando em um site que distribúi toda a sua discografia, na piratagem.

Mais uma: Buscando no Google por Warez, um dos primeiros links é o Warez Blog. Vejam:

Buscapé, anunciando direto. Colocando a Kalunga, uma das maiores papelarias do país, junto no atoleiro.

Quanto ao google, ele filtra sites de Malware, filtra sites de pornografia infantil, filtra sites que o governo chinês manda, mas não se dá ao trabalho de bloquear sites piratas. Céus, buscando por "download de filmes" na primeira página achamos um cara-de-pau chamado "xgoogle.com.br".

Oferecem até serviço para criação de emails exclusivos @xgoogle.com.br. Aonde? Vou dar uma dica:

Alguma dessas empresas é acusada de financiar a pirataria, alguma delas é chamada sequer de conivente?

Uma coisa é uma revista ser encontrada na casa de um pedófilo, a outra é você publicar um anúncio na PedoNews e depois dizer que não tem nada a ver com a história.

Na Internet não há desculpa. Todos esses programas de publicidade possuem regras draconianas de conduta. No Google não podemos sequer mencionar "bebidas alcoólicas" sem que alguém do AdSense rosne. Outros programas exigem fidelização por um ano após você ter cancelado o contrato. E eles vigiam, ah, vigiam.

Mesmo os mecanismos legítimos de mensuração e monitoração de campanhas já são suficientes. É possível determinar qual site irá exibir sua publicidade, ou no caso simplesmente bloquear mediante denúncia, mas alguém faz isso?

É bom para o anunciante, pois sites piratas possuem muito mais visitação que sites legítimos, é bom para o intermediário, que vende seu portfólio de pageviews muito mais rápido, e é bom para o pirata, que financia a sua operação.

Quem ganha menos? Dado o retorno pífio da maioria dos sistemas de publicidade, eu diria que é o pirata, que em sua grande enorme maioria só quer compartilhar conteúdo, sem grandes aspirações de ganhar milhões de dólares, como o PirateBay ganha.

Qualquer General, inclusive aquele que vivia lendo meus discos, o General Failure, sabe que a melhor forma de ganhar uma guerra é cortando os suprimentos do inimigo.

Só que no caso os fornecedores são peixe MUITO grande, e ninguém quer brigar com a Telefonica e com o Yahoo!, dizendo que ELES financiam pirataria ao anunciar em sites piratas. Então, vamos fazer showzinho fechando blogs, fingindo que dá certo.

----------------------

É uma visão interessante e que tem sustentação lógica.

Se o Google consegue bloquear sites específicos como sempre pede a China, consegue filtrar o conteúdo que lhe interessa então porque não filtra e bloqueia sites de troca de arquivos? Pelo menos os conhecidos mininova, Pirate Bay e etc? Não me parece muito difícil, nem remotamente impossível!

Não o faz porque não interessa. Dá lucro.

Já vi gente reclamando do AdSense por ter sido suspenso por supostamente ter postado pornografia ou qualquer outro material considerado impróprio pelo Google, oras, se podem verificar tão facilmente este tipo de material qual a dificuldade de se bloquear os sites "ilegais"?

Propaganda é a alma do negócio, aliás, a maior fonte de renda de vários sites, inclusive do Google. Até parece que em sã consciência grandes sites, provedores e etc perderiam uma parte relevante de suas receitas bloqueando sites ditos ilegais.

Quando a APCM ou qualquer outra organização meia boca que defende os interesses de grandes corporações que não sabem evoluir e se adequar aos tempos modernos (ufa) reclama aí o Google ou qualquer outro fingem que são respeitadores da lei e retiram do ar. Mero jogo de aparência.

Como diz o texto acima, é um showzinho.
------