sexta-feira, 12 de março de 2010

Cuba, Lula e a Greve de fome como instrumento de luta. Parte 2

Pin It
"Temos de respeitar a determinação da Justiça e do governo cubanos de deter as pessoas em função da legislação de Cuba. A greve de fome não pode ser utilizada como um pretexto de direitos humanos para liberar as pessoas. Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade."
"Gostaria que não ocorressem [detenções de presos políticos], mas não posso questionar as razões pelas quais Cuba os deteve, como tampouco quero que Cuba questione as razões pelas quais há pessoas presas no Brasil"
"A comparação é despropositada, pois tenta banalizar um recurso extremo que é, ao mesmo tempo, um símbolo de resistência a um regime autoritário que não admite contestações"
"Mais razoável seria se o governo brasileiro se preocupasse com as péssimas condições carcerárias a que [os presos de SP] estão submetidos"
"Com essa declaração o que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstra é seu comprometimento com a tirania dos Castro e seu desprezo com os presos políticos e seus familiares. A maioria do povo cubano se sente traída por um presidente que um dia foi um preso político"












"Tem muita gente que quer o apoio do governo brasileiro. Uma coisa é você defender, como nós defendemos, a democracia e os direitos humanos, outra coisa é você sair dando apoio a tudo que é dissidente de todo mundo, isso não é papel [do Brasil]"
------
Comentários
12 Comentários

12 comentários:

Robson Fernando disse...

Tsavkko, sempre gostei bastante de seus artigos, bastante lúcidos, inteligentes e defensores do que é certo. Mas sinto em dizer que dessa vez você decepcionou.

Pra não deixar Lula perder pontos com você, você foi capaz de defender os mesmos argumentos que sempre repudiou quando vêm da direita!
Os argumentos desse texto valem exatamente pros milicos e reaças defenderem a "razão" da ditadura brasileira em prender, torturar e dar sumiço a dissidentes de esquerda.
Além de incidir num velho vício de esquerdistas passionais (que costumo chamar de "ideoligiosos", pois seguem e defendem sua ideologia, por mais erros que tenha, tal como uma religião): a falácia de justificar o erro de um pelo erro de outros.

Tsavkko, peço que você deixe de lado sua (aparente) paixão ideológica pela esquerda e reflita melhor, com mais racionalidade e senso crítico e menos paixão, sobre o que Lula disse. Por favor, volte a ser o blogueiro lúcido, racional e muito inteligente que sempre foi -- algo que infelizmente você não foi no post acima.

Abs

Wadilson disse...

Tsavkko, a Yoani finalmente fez um post sobre o assunto. Veja:
http://www.desdecuba.com/generaciony/?p=3063

Não sei se vc conhece a Yoani Sánches, a blogueira cubana.
Em seu blog ela conta as agruras e o dia a dia de quem vive e ama a ilha, mas gostaria de algumas coisas diferentes.
Há tambem os comentários em seu blog. Ao menos, podemos ver algumas opiniões de cubanos. Nem todos vivem na ilha, já que o acesso à internet é restrito aos cidadãos cubanos.
Yoani mesmo percorre um longo caminho para conseguir publicar os seus textos.

Não sei se concordo com tudo que ela diz. Algo me diz que não. Mas sem dúvida pode-se ver a dificuldade que é viver sem liberdade, e com os milicos sempre em cima de você.

E, parabéns pelos seus textos.
Abs

Wadilson

Wadilson disse...

Mais uma coisa. Yoani ja havia postado uma pequena entrevista com a mãe de Zapata (que ironia esse nome...): http://www.desdecuba.com/generaciony/?p=3012

E temos que aguentar aqui o PIG fazendo porcarias com as falas de Lula.. de editoriais até cartunistas de aluguel

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Robson: Eu não devo nada ao Lula e sequer sou partidário dele. Concordei com parte do que ele disse e discordei de outra parte.

Eu discordo de muita coisa em Cuba, mas não tolero estes dissidentes financiados pela ultradireita. Não os respeito. Veja a tal da Yoani, engraçado como ela tem mais acesso que qualquer outro Cubano, não? Porque será?

Que Cuba resolva suas contradições internamente e não baixo o domínio dos EUA, como querem os dissidentes.

Questão não é paixão ideológica por lado algum, alguns dizem que China é de Esquerda, que Coréia do Sul é de esquerda... Abomino ambos os regimes, mas quero ver alguma "democracia" chegar perto do que Cuba alcançou com todas as dificuldades que enfrentou. É preciso reformar o regime, mas não através de Miami.

Wadilson: A Yoani já foi flagrada acessando até de hotéis em que, teoricamente, ela dizia nunca ter entrado. Ela tem um excelente trânsito com o pessoal anticastrista de Miami. Ela é interessada até a Medula em apoiar os EUA, oque faz com gosto.

Robson Fernando disse...

Tsavkko:
- como você prova que os dissidentes são de ultradireita?
- Você desejaria que o Brasil trilhasse um caminho tal em saúde, educação etc., mas às custas da liberdade e de direitos humanos? (Tenha em mente que este blog provavelmente não existiria se você morasse em Cuba)

E mantenho minhas palavras: mesmo que você não morra de amores por Cuba, manifestou a mesma frieza com que os milicos têm com quem lutou contra a ditadura no Brasil. Pra eles, os guerrilheiros daqui eram ultraesquerdistas decididos a implantar um regime socialista tirano. Pro castrismo, os dissidentes que hoje morrem e a quem Lula recusa qualquer solidariedade são ultradireitistas mancomunados com os EUA.

cicero disse...

Oi Rafael,

Por outros posts seus, em algumas linhas, respostas, etc, entendo algumas posições (alguns pontos), interessantes, como defesa do socialismo, sobre burocracia, ditadura tanto de direita quanto dito de esquerda). A exemplo, agora de Cuba, China, Coréia do Norte, etc.

Mas estes "pequenos" pontos de posição, que nos parecem corretos (defesa do socialismo, contra a burocracia, etc) acabam sendo prejudicados, e mesmo desvirtuados, uma pena, pelo conteúdo "geral" que vem apresentando nos seus textos, e aquelas idéias (corretas) acabam perdendo e servindo de apoio à um resultado distinto.
Não sei exatamente se pelo tamanho deles, dos textos (acredito que não), ou se pelo "recorte" (do que a mídia tem falado sobre) que você geralmente tem adotado. Isto com certeza tem muito peso, acaba pautando seus textos, e daí você, mesmo fazendo detreminadas críticas a um determinado lado (governo, mídia, movimento, pessoa, etc), até para não parecer que "fecha" com um deles, mas não consegue se desvencilhar do que já está posto pelo "recorte" escolhido.
Não sei se estou conseguindo expressar (criticar) ou apontar exatamente o que vejo como um dos problemas das discussões das questões políticas que apresenta em alguns posts seus. (a exemplo deste sobre Cuba, Lula, etc)
Acredito que ocorre mais pelo tipo de foco e preocupação excessiva com o que a mídia diz, que você vem deixando pautar seu blog.
Ao invés de você discutir um assunto, construir seus argumentos e textos, centrando-se naquilo que você diz considerar o mais importante ter (além dos apontados), postura independente, de esquerda, ou até socialista, e mesmo que apresente e faça suas críticas (claro, isso não pode faltar) à grande mídia, à direita, à miami, EUA, ou PSOE, governos brasileiro, etc, mas que não perca aquilo de vista, sua independência, o principal, para não (nem um pouco que seja) ser tragado pelas pressões das opiniões gerais, midiáticas, disputas partidárias e burguesas, dos governantes, e até mesmo do senso comum geral das "esquerdas", até por que boa parte delas já altamente comprometidas material, e muitos ativistas até intelectualmente (muitos sem perceber), comprando fácil os discursos seja de governos (ex. Lula), partidos, de políticos, ou de pessoas que embora "de fora", também capitulam (tristemente) à todo este jogo (real) que acontece na política.

Continua..

cicero disse...

Continuação:
Quanto a este post específico, pelo tema extremamente importante, até por sua pouca atenção e mesmo discussão entre as pessoas que se dizem de esquerda e socialistas, ou até as defensoras da democracia (assunto por si já complexo) e direitos humanos, esperava que você tratasse com "um pouco" (que já seria muito) mais de profundidade, do que está por trás dos discursos envolvidos (presos, burocracia, EUA, Lula/burguesia brasileira, e a restauração capitalista na ilha), e seus verdadeiros interesses em Cuba.
Com certeza que fosse além de tratar (criticar) apenas (estritamente) os discursos "midiáticos" de Lula, ministros, da OAB, ou da burocracia castrista (faltou) ou dos presos/dissidentes e sua greve de fome (reduziu dissidentes a um ou dois!).

Como expus, pelo "estreitamento" da questão posta em seu post acima, que acabou superficial (não pelas as idéias que mostra e defende, mas pelo resultado "geral"), entendo que pode (e torço muito mesmo) sair disso, e potencializar muito mais as idéias e assim abrir uma perspectiva independente, que vá além e possa nos ajudar a derrotar o joguete das burocracias (sejam castristas, petistas, etc) podendo ajudar quem e o que nos interessa, o povo cubano e suas conquistas da revolução soc., contra a direita americana (OEA,ONU,Obama, Hillary, gusanos etc) e a burguesia brasileira (construtoras, empreireiras, indústrias têxteis, etc etc)que Lula e sua política externa serve bem (por ser popular, de "esquerda") faz o trabalho de "ajuda"/restauração capitalista em Cuba, com discurso de "união dos povos latino-americanos". Esse o grande perigo para as massas e povo cubano, e nosso papel esclarecer e denunciar, apresentando que o caminho, a mudança necessária não é a mudança de "regime" como pretendem EUA, nem Brasil e burocracia castrista), pelo contrário, é a saída do povo, das suas conquistas, que mesmo deformadas ainda mantém-se, dos seus ideais e sentimento anti-capitalista e anti-imperialista. O que está deformado lá é do Estado, sob controle do PCC, por conta da burocracia castrista, e não do povo, das assembléias e órgaos populares (que burocracia "esvaziou"), não da revolução ou do socialismo defendido pelo povo.
Agradecendo desde já sua compreensão, e bom encaminhamento dos nossos diálogos, que as vezes ficam "tensos", mas acredito muito melhores e mais honestos para com nossos princípios e objetivos.
Um abração.

AF STURT disse...

Bom, só esqueceu de colocar a questão da colombia ,que ao meu ver é mais grave da America latina.
Sobre a liberdade de expresão e internet em Cuba,claro que são limitados.Mas não é apenas culpa do governo,mas também do blogueio e das atuais situações que vive a ilha.
Portanto liberdade para expressar tem e a internet também.Alias quais países tem esses problemas ,para falar a verdade todos...

Wadilson disse...

Não creio que Yoany esteja comprometida com governos imperialistas, muito menos até a medula.

Mas é visível como ela é usada pela direita em outros países para atacar o regime de Cuba.
Ela e outros poucos blogueiros que criticam a falta de liberdade.

A blogueira já ficou suficientemente 'famosa' fora da ilha, já tem olhos demais em cima dela. Ainda assim, já sofreu ataques.
E ela usou sim hotéis. Ela escreveu isso, e se utiliza de várias maneira para que seu texto seja publicado.

Yoany critica o consumismo, as marcas, o imperialismo que entra na ilha, independente de haver um regime socialista por lá. Corporações, marketing, propaganda, iPhones e celulares. Corrupção, contrabando, prostituição, as pessoas utilizam de tudo um pouco para conseguir uma calça jeans.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Wadilson: Bem, eu creio. Cansei de ler blogs cubanos acusando-a fortemente de ter ligações com a direita anticastrista... Pena que não tenho mais estes links...

Ela critica a falta de liberdade enquanto é uma das poucas que tem quase total liberdade, é mt hipocrisia.

Wadilson disse...

Tsavkko, sem acrescentar nada do que disse, um detalhe, no mímino interessante:
na capa do site do Instituto Millenium tem uma chamada de uma entrevista da Yoani para a revista Veja.

ok ok...
Saludos!

Raphael Tsavkko Garcia disse...

I rest my case, Wadilson, haha!=)

Postar um comentário