sábado, 6 de março de 2010

A PM, o crime e a mídia

Pin It
Me pergunto porque a constante tentativa de fingir surpresa pro parte de jornalistas das grandes redes quando, ao dar uma notícia sobre algum crime, comentam ou anunciam que o tal crime teve participação de algum PM ou, em outros casos, de Policial Civil?

Qual a novidade? Qual a surpresa? Será que as redes de TV forçam seus jornalistas a usar uma cara absurdamente fake de surpresa apenas para fingir que este simples fato não é comum, é corriqueiro?

Mas o que ganhariam os tubarões da mídia e a elite em geral com esse teatrinho? Ou melhor, o que perderiam se fossem desmascarados?

O que perderiam se todos soubessem que, hoje, a Polícia é o antro de bandidos que é - salvo raríssimas exceções visíveis -  graças ao abandono completo de seus quadros? Salários irrisórios, linhas de comando caducas, materiais e armas de péssima qualidade... Isso sem contar os PM's e Civis que vivem em favelas, lado-a-lado com bandidos, se escondendo, sem dignidade!? Quem, a não ser pessoas altamente altruístas ou simplesmente criminosos querendo uma forma de escapar de penas iria querer ser policial hoje em dia?

O que a elite midiática quer é que o povo também fique surpreso, revoltado quando vê quem deveria lhes proteger agindo como algoz. Mas tudo isto sem questionar, com a surpresa de quem não acredita no que vêem seus olhos, como se novidade fosse!




Desta forma podemos todos seguir como gado que se surpreende, ou melhor, como cabras que ficam paralisadas de surpresa quando à sua frente passam as notícias mais corriqueiras possíveis.

Talvez pareça radical demais? Assumir que todo policial ou a maioria é desonesta não seria o correto? Bem, trabalhamos com o que vemos. Das ações policiais que já vi, das conversas que tentei manter com policiais ou a de que amigos meus tiveram me fazem ter esta idéia e, sem dúvida, é compartilhada por boa parte da população.

A polícia serve para proteger a elite. É o pobre que defende a elite do outro pobre. É parte do aparelho repressor do Estado e realiza esta função com orgulho. Por vezes se revolta contra esta própria elite, mas não passando para o lado do pobre, do humilhado, mas agindo como algoz de sua classe e também de sua classe antagônica.

É o lado visível, paupável.
------
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

Amílcar Cerqueira disse...

Tá e qual é a solução?
a) eliminar a polícia?
b) fazer com que a polícia seja da elite (bons salarios, etc)?
c) esperar que a polícia se incite contra o estado que jurou defender?
d) enfrentar a polícia?
e) entrar para a polícia e parar de reclamar?

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Não é tão simples quanto escolher uma opção e pronto. A opção "b", se adaptada, seria um começo. Polícia não deve ser dA elite e sim dE elite. Bem treinada e bem paga.

MAs é preciso atrair não só a maioria de despreparados para a polícia, ela precisa ser formada por gente de todas as classes, deve ter um treinamento pesado e um salário decente.

Há de se mudar a estrutura militaresca e a cadeia de comando ultrapassada e aproximá-la da comunidade.

Educação - e não só na academia, mas em toda a vida - é o ponto focal. É preciso mudar a mentalidade.

dkn disse...

"A polícia serve para proteger a elite"

Discordo. A policia serve para fazer cumprir a lei.

Sim, o treino e o equipamento podem deixar a desejar. Mas o pior mesmo, na minha opinião, é a estrutura de poder das policias e as políticas de segurança pública.

A polícia, militar ou não, não deve estar armada nem agir como um exército. Não se trata de guerra, embora seja tão utilizada a expressão "Guerra contra o Crime" (expressão que denota certa ignobilidade a lá Charles Bronson).

Ora, é jargão comum na PM paulista a coisa dos "Direitos Humanos não está lá para nos defender". Ignorância pura. Poucos sabem que os Direitos Humanos não são uma ou outra ONG de militantes, mas diretrizes que guiam, inclusive, a Constituição do Brasil (a qual eles tem por dever defender).

Sou da opinião que a estrutura Militar não combina com a palavra polícia em uma República. Mas, blá. É muito assunto.

O que quero dizer é: cuidado. O problema não é o policial individualmente, ou a policia em si, mas aquilo que está no meio: a forma de organização, a ignorancia generalizada e os próprios valores da sociedade.

A mídia vive a criar drama para tudo e não ionforma nada quanto a questões mais efetivas: as politicas. De prevenção ao crime, ás enchentes e etc.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

dkn: E quem faz as leis senão as elites?

E cumprir que leis? Apenas as escolhidas pela elite. Ou você vê constantemente ricos sendo presos pro seus crimes? Ou ricos sendo vítimas de gás de pimenta, de repressão... A elite é protegida apenas.

Mas, quanto ao resto, só posso concordar... Mas o problema TAMBÉM é o policial em si. Não é o único, talvez não o principal, mas tem sua parcela de culpa.

É um processo.

Postar um comentário