segunda-feira, 7 de junho de 2010

O atraso tem nome: Marina Silva

Pin It

Depois de sair do PT em uma jogada que mais parecia novela da Rede Globo, Marina Silva encontrou seu lugar no PV, partido nanico ligado a oligarquias regionais e massa de manobra do DemoTucanato em São Paulo e outros estados.

Marina, fazendo-se de vítima, conseguiu apoio em diversos setores - incluindo o setor das elites do baixo-Leblon, amigadas ao discurso de Gabeira e cia -, e por muito tempo conseguiu enganar muita gente com seu discurso EcoCapitalista travestido de progressista. Mas aos poucos a máscara cai.

Sua chegada ao PV fez cair a máscara do partido e a sua própria. Anunciando sair do partido que apoiava os Sarney, Marina foi para o partido do Sarney Filho. Junto com ela levou outros conservadores anti-aborto e anti-direito dos homossexuais como o Deputado Luis Bassuma. O PV enfim saiu do armário e assumiu-se como partido conservador, retrógrado e atrasado, assim como sua candidata que, por suas credenciais religiosas, não deixa espaço para dúvidas. O estatuto do PV diz "A", mas a prática - e a Marina" dizem e fazem "B". E ela quer ser presidente!

Este post, aliás, poderia ser facilmente um "Fobia Neopentecostal" parte 3.

Marina é contra Aborto, Casamento Gay, Legalização das Drogas, Pesquisa com Célula Tronco. Ela também é contra a idéia de que a Terra é redonda? Só falta.

E, como não poderia deixar de ser, é hipócrita e falsa.

Questionada pela revista Época sobre as questões alencadas no parágrafo acima, disse ser contra tudo, mas, boazinha que só ela, propõe plebiscito.

Dois pontos devem ser observados. Primeiro, questões básicas de Direitos Humanos, como o direito das mulheres sobre seus corpos, ou o direito das minorias e à diversidade, ou questões relacionadas à saúde pública (aborto, drogas, células tronco) não podem ou devem ser questionadas nem são "matérias plebiscitário".

Segundo, Marina SABE que o Brasil é um país conservador, com pensamento retrógrado muitas vezes parecido com o seu próprio e a idéia de plebiscito é perfeita para denunciar sua hipocrisia.

Ela é contra, mas, boazinha, deixará que o povo "decida" quando ela já sabe a resposta final. E ela sabe, também, que os meios de comunicação, ainda mais conservadores, irão fazer pesada campanha defendendo os mesmos pontos de vista medievais da candidata evangélica.

Colocar tais questões como simples "matérias plebiscitárias" é o cúmulo da hipocrisia e da má fé. E tem gente que cai. Cai esquecendo que, por mais boazinha que ela tente ser, ela é CONTRA.

Porque liberar o aborto? Só porque 1 em cada 7 mulheres já fizeram aborto no país - ILEGALMENTE - e que esta é a terceira causa de mortes de mulheres no país porque as pobres só tem como ir a clínicas (sic) sem qualquer tipo de higiene e controle para morrer? A classe média paga clínicas de primeiro mundo, as faveladas morrem como indigentes. Porque então liberar, não é?

Falemos das drogas então, já que o aborto é algo tão sensível. Porque legalizar? Será que é porque todos sabem mas fingem desconhecer que Fernandinho Beira Mar, Marcinho VP e cia da vida são só "faz-tudo" dos verdadeiros responsáveis e financiadores do tráfico, estes todos com assentos garantidos em câmaras federais, estaduais ou municipais?

Falar de células-tronco então, difícil! Porque permitir que milhões de vidas sejam salvas com pesquisas de simples células quando, sabemos, o importante é agradar ao fundamentalismo religioso de alguns retrógrados que acham que alí existe vida humana ou algo do tipo - difícil sequer entender qual a reclamação destes doentes mentais. Pra que curar doenças? Deixem que deus cure os doentes enquanto sentamos e esperamos!

E, finalmente, o casamento entre pessoas do mesmo sexo! Claro que a Marina é contra. Claro que os fundamentalistas são contra. Afinal, estamos em um Estado Laico em que religião não interessa. Respeitamos a diversidade e o direito dos seres humanos serem responsáveis pelas suas vidas e escolhas! Impensável proibir que alguém se case só porque está na bíblia que não podem!

Pois bem, esta é Marina Silva. E nem precisei entrar no mérito de seu EcoCapitalismo cuja concepção, por si só, é risível. Teremos plebiscito, com Marina presidente, sobre sobre a volta da palmatória nas escolas ou seremos forçados a ouvir o Silas Malafaia no lugar da Voz do Brasil? Façam suas escolhas.
------
Comentários
41 Comentários

41 comentários:

conrado disse...

se ela é contra isso tudo, concorda que deveria voltar pra cozinha e obedecer a tudo que o marido manda?
só hipocrisia, infelizmente não é qualquer um que percebe.

robb disse...

Eu sou gay e acho um absurdo o tanto que a comunidade GLBT é desinformada e desinteressada.

Muitos induzidos pela aura de "modernidade" do PV - que você descontrói com perfeição neste post - dizem que vão votar "na Marina" sem sequer saber que serão totalmente esquecidos e ainda mais marginalizados provavelmente com o fim de várias iniciativas feitas pelo governo Lula.

Outros, ainda mais alienados - mormente os filhinhos de papai, mas aí até se entende, né - fazem clara campanha pelo candidato conservador, Serra, apoiado pelo que de mais retrógrado, atrasado existe neste país.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@conrado: MUITA gente ñ percebe ou fecha os olhos, inclusive blogueiros que eu respeito! Não gostar de Serra ou dilma não é desculpa para uma terceira via ainda mais desastrosa.

@robb: Também me surpreende. MAs vejo isto como um problema geral do brasileiro que, como tal, não poderia deixar de permear a comunidade LGBT.

robb disse...

Ah, mas não deveria ser assim, viu.

Converse dez minutos com um gay e vc invariavelmente cairá na discussão do preconceito sofrido em casa, na escola, nas ruas, ou seja, este seguimento específico sofre na pele constantemente o preconceito e deveria - além de se lamentar - ao menos prestar uma atenção mínima em quem vota, por exemplo.

Eu não acredito na democracia capitalista, mas nem por isso deixo de ver que o voto neste sistema é o único meio de incomodar as estruturas viciadas.

Tem hora que também só ficar culpando o sistema vira pura acomodação.

E hoje teve pastor picareta ganhando espaço na FSP para disseminar mentiras contra os projetos que visam dar um mínimo de amparo aos gays.

São mentiras deslavadas, apelações e a total inversão em que a extensão de direitos a uma parcela tão discriminada vira uma parcela "privilegida" e com "direitos especiais".

Me dá náusea ver um jornal dar espaço a este discurso nojento e cínico.

BRETTAS disse...

Excelente! E nem precisou falar dos negócios do marido com o famoso clã maranhense. Só faltou meter o pau no PT (meu partido) por mantê-la nas comissões e não pedir o mandato no TSE, o que eu considero uma covardia da Direção Nacional.

André HP disse...

Velho, diz uma coisa.

Supomos que temos liberdade religiosa e que o Estado é laico - portanto a constituição deve resguardar o direito de crença e culto para as diversas religiões.

A Marina, como qualquer um, tem seu direito de crença, e ela o faz sem invalidar nenhum princípio da crença dela - portanto é contra o aborto e etc. Até aí não temos problemas. Você acusa uma problemática quando ela defende um plebiscito antecipando que os meios de comunicação conservadores dariam espaço a posições contrárias.

Já leu os artigos que regulam o plebiscito no Brasil? Os meios de comunicação de massa só têm espaço opinativo no editorial. É extremamente democrático, como foi no de armas de Fogo. As pessoas tinham estatísticas, argumentos e fundamentos - foi uma votação democrática.

Não sei se precisamos de um presidente caricatural com nossas crenças e reivindicações. Mas um presidente democrático seria de bom tom, em um luta conjunta contra a hegemonia dos meios de comunicação e avanços nos campos sociais.

Achei digno o texto desqualificando a candidata, mas tem quem a ache agradável - pessoas respeitáveis, como você mesmo disse.

Eu poderia fazer um texto com o mesmo formato do seu trocando ela pelo Plínio. Por exemplo, não é consenso entre sociólogos, psicólogos e economista que a redução da jornada de trabalho para 40 horas - programa do Plínio - não acarretaria em problemas até estruturais para a sociedade.

Abraço.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@robb: Concordo plenamente contigo. Tenho alguns amigos e conhecidos gays que, mesmo tendo passado por tudo isto que você disse, que sofreram preconceito, mas ainda acham que política não tem absolutamente nada a ver com eles.

O pior desses picaretas na Folha é que mal tem resposta. Hoje mesmo saiu carta minha publicada na Folha contra o Apolinário, mas só na versão online. Na impressa a Folha acha mais importante a egolatria de mil elogios à si própria. É esta a grande mídia.

@BRETTAS: O PT está cada vez mais descaracterizado. MAntém ainda uma forte militância mas vem degringolando em nível regional Brasil a fora.

@André: Seguindo o raciocínio de que existe liberdade de crença, eu tenho a liberdade de não querer um (neo)pentecostal me governando simplesmente porque, dentre outros motivos, eles não tem a capacidade de entender que o Estado é Laico, logo, religião não entra.

Marina e outros não se opõem ao Aborto, ao Casamento homossexual, dentre outros, por razões filosóficas e científicas, como caberia em um Estado Laico, mas se baseiam em crenças religiosas pessoais e querem impor estas crenças à toda a população. Sem falar que estamos falando de questões básicas do movimento social e até de direitos humanos. Religião e direitos humanos são, normalmente, excludentes. E Marina prova a regra.

A idéia do plebiscito é péssima em primeiro lugar porque a Marina sabe que está em vantagem, se estivesse em desvantagem dificilmente iria dar a cara À tapa.

Segundo, você se engana na questão da mídia ou, pelo menos, está sendo ingênuo. Alguma dúvida de quais iam ser as opiniões dos colunistas ?Dos colunistas convidados e o direcionamento das matérias em um plebiscito? Ninguém disse que tudo precisa ser explícito, a Mídia dá o seu recado, muitas vezes, de forma implícita e que poucos notam o que acontece.

Se a mídia quisesse usar seu poder contra a proibição das armas teria encontrado uma maneira, e faria o mesmo com a questão do aborto e etc. ORas, imagina o efeito duma reportagem de capa ou de uma matéria no JN sobre tema correlato, de forma bem sensacionalista! Não duvide da mídia. Não se esqueça de como Collor foi eleito.

Para mim a Marina é um retrocesso. Ela não respeita sequer o estatuto do partido que entrou (não que o partido seja um primor, mas tudo bem). Até para se filiar ela fez gambiarra. E ela é retrógrada, tem pensamentos francamente medievais, é da igreja de Silas Malafaia... Não, obrigado, pra mim ela representa o atraso.

Este exemplo do Plínio não cabe. Estamos falando de coisas totalmente diferentes. Um fala de uma reivindicação dos movimentos sociais e sindicatos, dos trabalhadores - e uma tendência mundial, ainda que não seja 100% consenso, o que não existe -, outra de uma pessoa com ideologia medieval que governará por uma crença e não por um partido, por uma classe, por um movimento social. São coisas bem diferentes.

Felipe Vaz disse...

Pra começar a desfazer a desinformação postada aqui e no Twitter: Plínio é tão religioso quanto Marina. E suas declarações sobre temas como o aborto são quase idênticas às da Marina -- não duvido que ela tenha se inspirado muito nele, companheiro de religião e de partido durante décadas. Você vai chamá-lo de fundamentalista e de representante de ideologia medieval também?

"Eu sou contra o aborto como religioso, como católico minha mulher nunca fez, teríamos problemas seríssimos se ela fizesse, porque sou contra. Mas como homem público, não posso estender a minha fé a quem não tem a minha fé."
fonte: https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2010/5/15/entrevista-plinio-de-arruda-sampaio

Eu, que sou ateu e defensor do aborto, não condeno o Plínio. Ao contrário, ele é um exemplo vivo de como a vida pública e a crenças privadas podem conviver, mantidos seus respectivos círculos. O Estado é laico, não ateu (como foi a China), e a tolerância é a base de toda a cidadania.

Ele e Marina não são o atraso, são lição de tolerância em relação a como pensa a maioria dos brasileiros, e tiveram um papel fundamental na articulação do melhor governo que tivemos até hoje com as bases católicas. Acredito que ambos sejam igualmente incorruptíveis em seus princípios, e foram obrigados a deixar o PT por conta disso. Quem sabe a religião de ambos não os ajudou a se manterem incorruptíveis?

O preconceito (contra evangélicos, no caso) costuma falar mais alto na classe média conservadora, mas aqui eu sinceramente não esperava essa generalização. Nem ver ninguém escrevendo que um político com a história da Marina deve "voltar pra cozinha".

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@pedro: Pra começar a conversa, a Marina é (neo)pentecostal, ligada à pior escória que existe. Se ela cai em conto de pastor então, honestamente, não presta para ser nem síndica de prédio. Alguém que cai no conto do Silas Malafaia não merece sequer meu respeito.

Aliás, além de tudo ela é traidora. Foi educada, alfabetizada pelas freirase depois vira as costas e vai abraçar a família de Edir Macedo e cia (sim, sei que são igrejas diferentes, mas são todos uma cambada de ladrões).

E a declaração do Plínio que você colou diz exatamente tudo que eu precisava! Ele é contra em nível pessoal, mas JAMAIS passaria sua fé adiante ou imporia aos demais. Ou seja - algo óbvio - o partido defendendo ele, como figura pública e membro do partido, defenderia.

A Marina não, diz q vai fazer plebiscito! E campanha contra, sem dúvida, no período de campanha. Notou a diferença?

A Marina não é medieval apenas por isto, o aborto aliás é um tema complicado, mas é medieval por ter comportamento homofóbico - se recusou a chegar perto da bandeira do mov gay na Bahia p ex. - e, acima de tudo, por ser contra pesquisa com células tronco. É contra a ciência. Marina é criacionista para piorar e, como eu disse, (neo)pentecostal. É inaceitável.

A base do Estado laico é, sim a tolerância, mas não a tolerância que a religião do presidente seja imposta à população.

E, chamar a Marina de incorruptível é brincadeira, né? Gabeira, Cesar Maia, Kassab, Serra.. .Todos do ou ligados ao PV! Opa, Sarney Filho! Que incorruptível!

E, eu admito abertamente ter preconceito contra quem dá dinheiro pra pastor, contra (neo)pentecostal. Não confio em quem confia em Silas Malafaia, Edir Macedo e cia. E JAMAIS toleraria que me governassem.

E jamais disse que ela deveria "voltar pra cozinha", pelo visto você não entendeu a ironia do @conrado. Eu pouco me importo pra onde ela vá, mas meu voto ela jamais terá e faço questão de fazer campanha contra.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Opa, escrevi @pedro, era @felipe! Perdão!

Felipe Vaz disse...

"E, chamar a Marina de incorruptível é brincadeira, né? Gabeira, Cesar Maia, Kassab, Serra.. .Todos do ou ligados ao PV!"

Ué, e a Marina é igual a todos estes? Participar de um partido que fez coligação com outro é ser corrupto? Assim chegamos a um contorcionismo que eu não sou capaz de acompanhar. Uma hora interessa dizer que Marina é igual ao PV, outra hora o contrário?

Ou ser incorruptível é compactuar com a realpolitik do PT e fazer figuração em ministério, aceitando o que impõem os ruralistas?


Sobre a ironia do "volta pra cozinha", sim, eu captei. Mas você deve saber que isso não faz com que a ironia seja menos preconceituosa.


Quanto ao "medievalismo", isto aqui me parece um bom exemplo de separação da fé e da política pública, ainda que eu preferisse uma postura mais firme (não encontrei em vídeo algo em relação ao aborto) -- http://www.minhamarina.org.br/blog/2010/06/marina-defende-uniao-civil-de-bens-entre-homossexuais/

(Apontar pro que a Globo escreve me parece menos confiável que um registro objetivo em vídeo, certo?)

Não sei onde você viu algo que indicasse a imposição de uma religião, fico curioso para saber se tem algo factual que indique isso.


Sobre o plebiscito: se ele pode ser visto como uma forma de se eximir da discussão, também é a forma mais republicana de abordá-la: a verdade é que nenhum presidente vai decidi-lo, é algo que cabe ao congresso (ou a um plebiscito mesmo). Candidato que afirma que vai fazer algo em relação a lei de forma autônoma é um de autocrata por antecipação. O presidente pode no máximo articular uma política, e nisso o discurso isolacionista ("sem coligações! sem concessões!") leva necessariamente ao fracasso ou à necessidade da imposição pela força.

A política exige diálogo, senão é ditadura: de esquerda, de direita, teocrática, islâmica, sionista, não importa. Ou o gueto auto-imposto, se a ideia for jogar pra perder.


Enfim, acredito que a Marina é um bom caminho, seguindo na direção que temos seguido nos últimos 17 anos, e forçando a alternância de poder e a quebra da dicotomia PT/PMDB e PSDB/PFL. O caminho é lento, mas tem funcionado melhor que as ditaduras.


E certamente há coisa melhor pra se fazer campanha contra, estou acostumado a ver você escrever sobre algumas delas.

abs

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Incorruptível: A Marina saiu do PT para um partido absolutamente corrompido, carregado de figuras abomináveis e coligado com o que há de pior no país. Ela foi atrás de holofotes. Isso não é se corromper? Compactuar?

E, realmente, você só confirma minhas suspeitas, ela quer holofotes, não quer fazer figuração. Quer ser A estrela.

Cozinha? você REALMENTE não entendeu a ironia do @conrado mas deixa pra lá.

Medievalismo: União de BENS. É bem diferente do que o movimento gay quer. Já a bandeira do mov gay ela se recusou mesmo a pegar...

Religião: Ora, onde? Nos ocmentários da Marina, onde mais! Ela se pauta única e exclusivamente por sua religião e não por movimento social ou ideologia. Ela sequer respeita o estatuto do PV, que defende abertamente o Aborto, p ex. Mesmo pra entrar no partido ela foi desonesta.

Plebiscito: Como colocaram no twitter, "[plebiscito]é mais q só fugir da raia. É impor tirania da maioria dissimuladamente. P/direitos fundamentais ñ cabe plebiscito." ou ainda "sim, defender plebiscito é o velho golpe conservador, um clássico. DH ñ se decide na tirania da maioria."

Diálogo: Diferente de plebisicto para acabar com assunto. Ela sabe q lado vai vencer - o dela. E então pode simplesmente enterrar de vez o assunto e nunca mais discutir, afinal, "venceu". Direita típica.


Excelente caminho, realmente! Vai apoiar o Serra no segundo turno e se vender pro DemoTucanato afinal, está no partido certo! Ou ela pode tb sair do PV chorando q ñ tem espaço... São opções válidas!

E não faço camapnah contra e sim um alerta contra o atraso que Marina representa, assim como todo (neo)pentecostal. São um perigo para o país.

Felipe Vaz disse...

Você escreveu: "faço questão de fazer campanha contra"

Depois você escreveu: "E não faço camapnah contra e sim um alerta contra o atraso (...)"


Assim não vale a pena discutir. Provavelmente vc só está realmente preocupado em eleger a Dilma no primeiro turno. Se você tivesse alguma preocupação quanto ao primeiro turno, não faria nenhum sentido fazer campanha contra um candidato que não fosse a Dilma, não é verdade? Seria melhor fazer campanha pró-Plínio.

Bom Dirceu, Blairo Maggi, Sarney, Temer, PR, Garotinho etc. pra você, imagino que assim você fique feliz e incorruptível.


Em tempo, você deve saber muito bem que quase todos líderes evangélicos NÃO irão apoiar a Marina, a começar pelo Edir Macedo: apóiam a Dilma e parte deles o Serra, provavelmente agora vão fechar com a Dilma. Mas é mais fácil ser preconceituoso com os evangélicos e generalizar, do que pensar no que representa cada um deles. Melhor votar em quem mente ao dizer que é cristão, pra conseguir o voto da massa conservadora e o conchavo dos líderes evangélicos mais podres, não? Pra você, provavelmente isto é incorruptível -- certo?

Abs

Anônimo disse...

@Felipe Vaz: humilhaste o revolucionariozinho de mesa de bar, HAHAHAHAHAHHAA!.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@Felipe Você pegou dois momentos diferentes da conversa como exemplo. Sim, eu faço questão de fazer campanha contra o atraso, contra a Marina, mas no momento estou me limitando a alertar contra o perigo que ela representa. Honestamente, você não me viu fazendo campanha contra...

E, novamente você erra, eu não faço campanha ou votarei na Dilma. Meu candidato é o Plínio, um homem de Esquerda, e não a criacionista EcoCapitalista ou a Dilma.

Seu raciocínio é extremamente falho. Já escrevi muitos posts criticando a Dilma, outros tantos criticando o Serra e agora critiquei a Marina, sem dúvida não vou simplesmente criticar um ou outro e deixar a criacionista simplesmente conseguir apoio baseado em mentiras e farsas. Se eu puder mudar a idéia de uma só pessoa que iria votar neste atraso, fico satisfeito.

E, quanto À generalizar, sim, eu faço questão de generalizar. Jamais aceitarei um neopentecostal como presidente, questão simples. Tenho e assumo preconceito contra esta gente que representa o que há de mais tosco no país. E, tampouco me importa quem seja cristão ou não, quem pose de cristão ou não, na política 99% das figuras são falsas e fabricadas, por isso fico com Plínio, um dos raros autênticos.

@Anonimo: Vai catar coquinho e empilhar na ladeira, desocupado. Agora me lembrei porque moderava comentários, pra evitar gente inútil...

Felipe Vaz disse...

Eu não quero humilhar ninguém. Eu só queria um mínimo de respeito pra Marina e sua história política, e corrigir um ou outro ponto onde o autor me parece apontar referências erradas para (intencionalmente, me pareceu) desinformar seus leitores.

Por exemplo, sobre o estado laico, criacionismo etc., acho que ela explica bem aqui:
http://www.youtube.com/watch?v=j8i1-a0kq1E#t=02m38s

Reduzir a questão à má interpretação do Terra não me parece a melhor maneira de informar, apenas de fazer propaganda negativa.


No mais, o respeito à honestidade da Marina, e o reconhecimento à razão dela em sair do PT o próprio Tsavkko já concedeu, apesar de agora se desdizer:
http://www.culturaebarbarie.org/blog/2009/08/marina-silva-e-a-reinvencao-da.html#comment-21212

abs

Felipe Vaz disse...

Pra quem tiver preguiça de clicar no link acima, as aspas do Tsavkko de uns meses atrás:

"A decisão de Marina de sair, e como saiu, é perfeita. Ela é uma figura honesta e por mais que seja contra o aborto - posição lamentável mas direito dela - a questão não é essa."

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Minha opinião na época era mesmo aquela, antes da Marina se revelar mais conservadora e hipócrita do que eu jamais imaginaria. À época eu imaginava, como muitos, que pela história dela, ela seguiria um caminho decente. Ledo engano. Se revelou uma evangélica patética e retrógrada, de pensamento medieval e filiada à um partido que - apesar dela sequer seguir seu estatuto - está coligado com o que há de pior.

Anônimo disse...

Antes de tudo, algumas observações para tornar o texto ainda mais belo:

No primeiro parágrafo, a escrita correta é "a oligarquias", sem crase. Ainda neste parágrafo, a escrita de "estados" deve ser com "e" minúsculo, visto que falamos das divisões do Brasil, e não de outras nações.

No segundo parágrafo, está posto o verbo "apoiar" na 1ª pessoa do singular, no tempo presente, quando o correto a se aplicar ao caso seria um substantivo, portanto "apoio", sem acentuação gráfica.

No décimo parágrafo, deve haver uma vírgula antes do "mas".

No 11º parágrafo há um pequeno descuido na digitação, "tme" em vez de "tem".

No 12º parágrafo há mais uma vez uma falha de concordância em relação à crase; o correto é "a clínicas", não "à clinicas".

No 13º parágrafo há outro pequeno deslize de digitação: "uqe" em vez de "que".

Agora quanto ao conteúdo, antes de qualquer coisa gostaria de parabenizar o autor! É um texto bem construído, com uma retórica interessante e aplicada à medida certa. Confesso que gostaria de estender minha ode e comentar parte-por-parte o seu belo texto que evoca reflexões e, ainda mais, emoções, mas o horário é avançado e não disponho do tempo necessário. Pela indelicadeza de não fazê-lo peço, antecipadamente, perdão. Contudo, ainda que pouco, permita-me prosseguir:

Eu, particularmente, como fiel seguidor - mas jamais fundamentalista ou dogmático - de Proudhon que sou, iria mais além de suas palavras. Para que governante, se já temos um mundo capaz de suportar a Anarquia, se já temos uma humanidade consciente para esta? Revolução!

No mais, quanto alguns outros pontos de seu plausível discurso, usando o mesmo argumento da legalização das drogas, por exemplo, questionaria: por que não legalizar o livre comércio de armas?

Quanto a sua posição emotiva e ideológica, ponho-me em comum acordo. Assim como você expressou em um comentário (aqui me permita, mais uma vez, pedir-lhe perdão por ler apenas uma minúscula parte dos comentários), faço questão de generalizar! E faço questão também de desrespeitar os religiosos. Afinal de contas o Estado é, constitucionalmente, laico e democrático, o que permite a cada um liberdades individuais e um governo livre do poder religioso. Em respeito às liberdades individuais não devemos respeito à liberdade de culto de outrem (desses doentes mentais!), e devemos apregoar o protecionismo àqueles que estão sob os nossos próprios ideais!

É necessário que sejamos inteligentes e sábios e entendamos que, apesar de odiarmos quando somos nós o alvo destas, as generalizações e a falta de respeito às escolhas de outrem, quando favoráveis aos nossos desejos, são primordiais. Afinal, se aqueles a quem tachamos de hipócritas agem de tal maneira, façamos nós também isso - e ainda que ajamos contra o que apregoamos, não seremos hipócritas, muito menos parecidos com eles!

É necessário que nos posicionemos, e que coloquemos nossa crença própria como superior a de outrem, tentando torná-la hegemônica. Não é isso que fazem esses políticos "impositores" hipócritas?

Acordemos e sejamos extremistas, assim como foram os grandes líderes idealistas que realmente olharam para o povo e viveram para o povo e para a liberdade individual ao subirem ao poder, como Lênin, como - mesmo que eu o deteste por ser de direita - Hitler!

"Egoísmo não é viver à nossa maneira, mas desejar que os outros vivam como nós queremos". - Oscar Wilde

É a máxima Sartreana: "O inferno são os outros".

Simone disse...

Realmente você é um angry brazilian, isto quer dizer que é cheio de raiva e que já foi totalmente americanizado como todos os que têm a mente fraca e é incapaz de pensar por conta própria e de entender a proposta de um mundo de paz, talvez por sua extrema carga de raiva, rancor e frustração. Só os capazes de ouvir é que ouvem. Você não seria capaz de entender as propostas de Marina nem que quisesse.

Simone disse...

Você deveria seguir o exemplo de Marina em seu blog e não deletar os comentários aos quais não consegue, não poide ou não quer responder. Veja aqui http://www.minhamarina.org.br/blog/2010/06/o-que-marina-disse-sobre-saramado/#comments
Marina não deleta de seu blog comentários desfavoráveis a ela. Deixe de ser angry brazilian, seja um verdadeiro brasileiro.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@simone: Eu não deletei nenhum comentário seu, apenas não tive tempo de aprová-los durante o dia...

E.. americanizado? Que tal ler o blog antes de falar besteira? O fato do título está em inglês te faz pensar nisto? Aviso, não é só nos EUA que se fala inglês...

A MArina é uma criacionista. Ela é neopentecostal e JAMAIS aceitarei ser governado por uma fanática religiosa que acredita em pastor ladrão. simples assim. Quem tem mente fraca e não pensa são os imbecis que dão dízimo pra canalha.

Se você é uma, só posso lamentar, não tens capacidade de raciocinar e acredita no conto esta tapada.

Este blog apóia uma mudança real e não uma demotucaninha de cor verde, este blog apoia Plínio de Arruda Sampaio.

E A Marina deleta sim comentários. Engraçado como NENHUM dos meus comentários jamais foi liberado no blog dela! Interessante, não? Comentei uma meia dúzia de vezes e TODOS foram apagados...

Priscila disse...

Cara, se você mesmo assume o preconceito contra todo e qualquer evangélico, então não há muito o que eu possa argumentar a respeito. Tenho de admitir que você tá sendo honesto no teu preconceito. Só que ao ser abertamente preconceituoso, não tá caindo exatamente no mesmo erro dos evangélicos abertamente preconceituosos que você tanto critica? (Não, não sou evangélica nem pretendo ser.)

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Priscila: Na verdade, para ser mais exato eu chamaria de intolerância contra intolerantes.

Tenho intolerância completa aos atos absurdos deste bando, mas uma coisa, não tenho nada contra "evangélicos", meu problema é com (neo)pentecostais.

Ana Carolina Castro disse...

Pesquisa com células tronco, legalizacao de drogas e do aborto nao sao caso para pebliscito? E por que nao? Aqui na Alemanha houve esse mês pebliscito para a questao do cigarro em locais públicos fechados. Nao consigo pensar em coisa mais democrática do que pebliscito. É ótimo que a comunidade como um todo possa determinar, de acordo com seus costumes e crencas, o que a maioria acredita ser mais justo para todos.

@dihego disse...

Só uma pergunta, indiferente da minha posição sobre a Marina, demais candidatos e partidos.

Qualquer um dos candidatos que consagrar-se como Presidente, deve responder a vontade e fazer valer a opinião da população brasileira, certo? Ok, então o fato da Marina falar que é contra todos aqueles conceitos, mas que é a favor de plebiscito, é uma forma de garantir que a vontade do povo prevaleça e seja feita, certo?

Como disse, estou falando independente de mim. Estas questões abordadas, ao meu ver, deveriam ser legalizadas, mas eu convivo em sociedade e, infelizmente, ainda não estão preparados para receber esta "evolução".

O que eu quero dizer com isso é que: independente dela ser boa, se eu ou você vamos votar nela, etc, temos que admirar a mulher por não prevalecer suas crenças acima das demais e deixar "em aberto" para que o povo decida.

Marco Goddo disse...

Raphael...

Eu estava quase entendendo o que vc defende, até ver suas respostas aos comentários, principalmente esta (parei nela para não me confundir mais):

..."A MArina é uma criacionista. Ela é neopentecostal e JAMAIS aceitarei ser governado por uma fanática religiosa que acredita em pastor ladrão. simples assim. Quem tem mente fraca e não pensa são os imbecis que dão dízimo pra canalha".

Você ainda quer mudar o nome preconceito, bolchevista, fascista para "intolerante", isso é que é ser humilde ou politicamente correto, dentro do do espírito "quando me convém", claro.

Reveja conceitos, sobre os outros, sobre você e sobre a vida. Odeie programas de governo, não pessoas.

Bruna Carvalho disse...

Garota, de onde que você tirou que a Marina Silva é contra isso, contra aquilo? Vai procurar saber antes.

Ela sempre disse estar aberta a discursão de todos esses assuntos. Mas quem decide não é o presidente da república.

Pelo jeito quem é cheia de preconceitos é você.

Taty Maria disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

eu abri o blog e qnd comecei a ler,pensei em responder ao seu post a altura, mas lendo o debate nos comentários meu querido vc se contradiz o tempo todo. Primeiro diz "fazer campanha contra", depois diz que não, só quer "alertar o atraso". Vc destaca o fato dela ser contra o casamento gay, o q pode ser considerado uma discriminalização, preconceito. Mas vc mesmo é contra os "evangélicos" ops quer dizer os (neo)pentecostais. Dentre outros assuntos que vc destacaou.

E quanto a questão do plebiscito, acho que não é uma fuga. O resultado de um plebiscito representa a opinião de uma maioria, e se a maioria escolher ser contra o aborto, contra o casamento gay ... por mais laico que o Estado possa ser, estes serão o reflexo de uma sociedade.

E vc pegou os assuntos que apesar de não menos importantes na vida das pessoas, não são essenciais para se ter qualidade de vida, e no quesito economia, educação, reforma política, emprego, previdÊncia ... O que vc tem a dizer????? Gostaria de saber sua opinião. Marina Silva tb representa um atraso nesses quesitos?????

Raphael Tsavkko Garcia disse...

@Ana: O problema com os plebiscitos estão explicados no texto. Questão de direitos humanos não devem passar por plebiscito e sim serem aplicados E, a Marina sabe perfeitamente que a população brasileira, a maior aprte, é conservadora como ela, logo, é uma tentativa tosca de se dizer democrática sem, porém, ser.

E, falando em crença, beleza, vamos continuar a deixar que mulheres sejam apedrejadas no Irã, ou que pessoas tenham as mãos decepadas na Arábia Saudita ou, pior, que mulheres sofram mutilação genital na África, afinal, é costume, né?
--
@digego: Leia minha resposta à @ana acima. A população, se houvesse plebiscito, provavelmente votaria para permitir o linchamento de criminosos, pela pena de morte e pela redução da maioridade penal. Ou seja, estariam em desacordo com a mais básica noção de humanidade.

Uma coisa é democracia, outra é turba enfurecida.

E este papo dela querer deixar q o povo decida não existiria se ela soubesse que a sociedade não pensasse como ela. Mera jogada - manjada - política.
---
@MArco: Dê uma lidano link(http://tsavkko.blogspot.com/2010/04/fobia-neopentecostal-e-o-dia-d-de.html). Neopentecostalismo por si só é um atraso. Ela pensa de forma retrógrada exatamente pela filiação religiosa, pelo câncer que estas igrejas representam. E, realmente, eu JAMAIS viveria em um país cujo presidente fosse neopentecostal.
---
@Bruna: É GarotO. Onde? NA mídia, nas entrevistas dela no Roda Viva e em outros veículos. Abra os olhos. Ela é "aberta" a discutir, mas sempre diz ser contra e sua saída é deixar q o povo decida questões de DH.
---
@Sou contra uma organização criminosa e ladra que se traveste de religião: Os Neopentecostais. Sim,deixo isso bem claro.

O resto do plebiscito está explicado no texto.

E, não são essenciais? Claro, aborto não é essencial para as mulheres que morrem - uma das maiores causas de morte de mulheres, aliás - , o casamento gay é totalmente sem importância para toda a população gay, assim como a adoção e etc... Desculpe, mas não é você quem dita o que é importante ou não só porque para VOCÊ os temas não são importantes.

No mais, sim, Marina representa o atraso em TODOS os quesitos.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Sobre neopentecostalismo: http://tsavkko.blogspot.com/2010/04/fobia-neopentecostal-e-o-dia-d-de.html

Marina representa o atraso em todas as questões.

carminha disse...

Ninguém em sã consciência pode ser a favor de aborto e de terapia com células tronco embrionárias. O aborto é usado como contraceptivo no Brasil, o que é um absurdo. É necessário educação e meios da população poder escolher quando vai ter filhos através de métodos mais dignos. Existem vários, vasectomia, pílula, camisinha, etc. Há casos que não se enquadram em escolha, como uma gravidez gerada através de estupro e para isto existe a legislação, que por sinal funciona muito mal atualmente, pq quando sai a decisão para o aborto a gravidez já está em estado adiantado. Quanto a terapia com células tronco existe a que se faz através do cordão umbilical, esta sim não há razão para ser contra, e Marina não é, pois não se gera um ser para depois sacrificá-lo em nome de outro ser, o que não faz o menor sentido e é desumano. Acho que devemos sim discutir sobre estes assuntos para elevar o nível de informações da população em geral, pois muitos se deixam levar pelo discurso maniqueísta e de má-fé. Os assuntos são complexos e não se pode decidir com canetadas. Marina está muito certa em propor um debate com a sociedade. Já dizia alguém, informação é poder.

Conrado disse...

Plebiscito é democrático desde que as opções sejam válidas.

Questões de direitos humanos e igualdades civis, por exemplo, não são plebiscitáveis. São princípios democráticos.

Anti-democrático é enxergar princípios como formas a serem disputadas pelas maiorias.

Anônimo disse...

Acho que são contraprodutivas essas construções milaborantes sobre quaisquer dos candidatos. O Executivo não reina sozinho no Brasil, temos o Judiciário e o Legislativo. Acho que nossa democracia deveria caminhar para além dessas teorias de conspiração e alarmismo. Nenhum presidente vai levar o Brasil à Idade Média nem vai fazer milagre e nos transformar em Primeiro Mundo. Acho também muito idealismo as pessoas procurarem por candidatos que satisfaçam 100% de suas exigências, este não existe nem existirá.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Carminha: Sabe qual a diferença entre os pró-aborto e os que são contra? Exatamente a consciência. Os pró-aborto TEM alguma consciência enquanto os que são contra não passam de, em geral, fanáticos religiosos que não sabem vivem em um Estado Laico, ou seja, onde suas opiniões medievais não tem vez.

O religioso quer impor sua visão. simples.

Aborto é saúde pública. Legal ou ilegal vai ser feito. A diferença é que no primeiro caso evitamos a morte de centenas de mulheres. e no segundo apenas satisfazemos as vontades de religiosos, enquanto as mulheres morrem.

Dizer q o aborto é usado como contraceptivo no Brasil não é só má fé, mas beira a atitude criminosa. Nem em países onde o aborto é legal se verifica isto.

O caso das células-tronco então é mais boçal ainda. É fanatismo e medievalismo religioso que manteve a humanidade engessada por séculos e que agora quer continuar a nos atrasar. Nem tem discussão.

Atraso não se discute, se lamenta e se passa por cima.
---
@conrado: Perfeito.
---
@anonimo: Não reina sozinho, mas ter uma criacionista com pensamento medieval, sem dúvida, não é bom para o país.

Definitivamente não quero uma retrógrada como a Marina falando pelo mundo em nome do meu país.

carminha disse...

Vc quer chegar aonde com tanta pressa? É melhor ir mais devagar para não atropelar ninguém.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Pressa? Eu chamo de respeito pelos direitos humanos e pela dignidade humana.

Taty Maria disse...

primeiro não falei q aborto, casamento gay ... não são importantes, muito pelo contrário eles são tão importantes quanto, por isso falei "não menos importantes", mas acho que há muitas outras coisas q SIM a meu ver são mais essenciais !!!

E vc relamente não deve ter lido o programa de governo de Marina Silva pra achar q ela representa atraso em tudo, ou então vc eh muito ignorante!

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Você está confusa, minha cara Taty. Me desculpe mas não é você quem decide o que é essencial ou não para a vida dos outros. Você é gay? Penso que não. Para eles a questão da adoção e do casamento é essencial. Sabe porque? Porque eles querem ter direitos iguais, eles querem ser tratados como iguais e não como inferiores.

Para milhares - milhões - de mulheres, o aborto é essencial, pois com ele ilegal, muitas vão morrer porque não é porque é proibido que não irão fazer.

Você tem Alzheimer? Câncer? Parkinson? Para quem tem estas e outras doenças as pesquisas com células-tronco são a única esperança que elas tem de sobreviver. PAra você podem ser questões "não essenciais", mas muitos pensam diferente.

Repito, não é você quem decide o que é ou não essencial. Pare de pensar com sua barriga pois o mundo não gira em torno do que você acredita.

E, li sim o programa, acompanho o que aquela maluca fala na TV, o que sai nos jornais, na blogosfera... Ela é uma EcoCapitalista perdida no mundo que pela birra com o PT resolveu cooptar um partidinho sujo e sair candidata para posar de alternativa. O que ela não é.

Segunda-feira sairá um post especial sobre a MArina, acompanhe.

Camile. disse...

"Pra começar a conversa, a Marina é (neo)pentecostal, ligada à pior escória que existe. Se ela cai em conto de pastor então, honestamente, não presta para ser nem síndica de prédio. Alguém que cai no conto do Silas Malafaia não merece sequer meu respeito".

Não entendo pq vcs falam tanto em igualdade e escrevem essas coisas.

Eu sou evengélica. Eu sou contra muitas coisas do tipo (mas sou a favor da legalização do aborto nos primeiros meses de gravidez e do casamento homossexual, por exemplo). O Plínio também é contra muita coisa. Tanto que ele deixa bem claro que está ali como representante do PSOL. A Marina não vai decidir sozinha sobre nada disso. Todas essas matérias terão de passar pelo congresso primeiro, e é ali que mora o perigo. Ou vc acha que mesmo elegendo um presidente que seja a favor de tudo isso teremos todas essas matérias aprovadas?

Não, eu não vou votar na Marina. Não por ela, mas pelas alianças que o PV tem feito e pelo próprio PV. Que pra mim é o mais hipócrita de todos os partidos.

Eu acho que vc tinha que conhecer mais as coisas antes de julgar. Nem todo pastor é o que vc está dizendo. Assim como nem todo cara que diz ser de movimentos sociais e tudo o mais vai salvar a pátria.

Seja menos preconceituoso, se vc quer lutar por qualquer tipo de igualdade.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Camile: O que "igualdade" tem a ver com aceitar que uma corja de ladrões assalte a população na base do dízimo e da lavagem cerebral?

Igualdade não é nivelar na burrice.

Quanto ao Plínio, uma cisa é o homem, outra o político, e ele é político. Defende o aborto por ser questão de saúde pública e é a favor de todos os direitos dos homossexuais. A religião fica em segundo plano, de onde nunca deveria sair. Já a Marina põe a religião em primeiro lugar, indo contra o Estado Laico e contra os Direitos humanos.

Um presidente a favor facilita, mobiliza, um presidente hipócrita, contrário, complica. Questão simples. O que o presidente pensa, como age, tem influência. Uma fanática na presidência seria um retrocesso significativo.

Pra mim, cobrou dízimo é canalha. Ponto. É neopentecostal é safado. Nunca vi nada que me fizesse mudar de idéia, só o contrário.

Postar um comentário