sábado, 7 de agosto de 2010

Plínio, Socialismo e o pretenso jogo da direita

Pin It
Algo que vem me irritando ha muito tempo é esta mania que militantes do PT e simpatizantes tem de acusar o Plínio de fazer o jogo da direita.

Concordo - e escrevi neste blog - que, por vezes, o PSOL erra a mão das críticas e ataca o PT de forma até desleal, mas daí a acusar estas falhas de ser jogo da direita são um passo enorme. A isto chamo de oportunismo.

Em alguns momentos parece que é uma tentativa mal disfarçada de amordaçar o debate, de censurar a idéia divergente. Plínio está a esquerda do PT e MUITO mais a esquerda que o governo
(e esta separação entre governo e PT me foi dito por um militante radical do PT, não estou inventando) e, como tal, tem o dever de apresentar suas propostas e compará-las com as do governo/PT sem medo.

No debate, Plínio atacou PT, PSDB e Marina (chamar de PV soa irreal, ela não respeita praticamente nenhuma regra do partido, o usa como partido de aluguel, o que não vai longe da realidade daquele antro), mas a militância petista dá chilique porque ele atacou a Dilma, mesmo que com uma argumentação coerente e franca.
Chamou José Serra (PSDB) de "hipocondríaco", por só saber falar de saúde e o tachou de "a favor do latifúndio", quando o tucano afirmou ser contra a desapropriação de terras com mais de 1 mil hectares, uma das principais propostas de Plínio. Quanto a Dilma Rousseff (PT), o candidato a acusou de maquiar números ao falar de reforma agrária. "Quem fez o programa da reforma agrária do Lula fui eu. (Vocês) Fizeram menos que o Fernando Henrique."
Plínio venceu o debate, isto é incontestável. Serra parecia um vampiro anêmico, o que de fato é, Marina foi maravilhosamente desmascarada por Plínio (Ecocapitalista) e Dilma parecia nervosa (ainda que tenha ido bem no geral) e levou alguns comentários do Plínio pra casa.

Mas voltando ao ponto, eu me pergunto o que os petistas (alguns) temem? Não há mais o que perguntar, só pode ser temor.

Temem o PSOL? duvido, é um partido ainda pequeno e os próprios petistas (angluns) sentem prazer em tentar pisá-lo.

Seria o Plínio? Talvez, com mais de 50 anos de vida pública e luta, ele fala com propriedade, com a propriedade de quem militou por anos no PT e criou até mesmo o programa de reforma agrária do partido. Logo, tem a estatura necessária para criticar aquilo que ele ajudou a criticar e que, em sua opinião, se desviou do caminho, se perverteu.

Os argumentos do Plínio dificilmente são passíveis de resposta. Ele sabe do que fala. As propostas podem ser discutíveis, não são para todos os gostos, mas seus argumentos e críticas costumam ser certeiros.

Esse papo de "jogo da Direita" é realmente uma mordaça. Alguns tentam criar o medo da vitória do Serra para tentar calar a voz dissidente. Plínio toca em pontos fundamentais, como a Reforma Agrária, e ninguém pode respondê-lo, porque ninguém a fez ou tem propostas de fazê-la. então novamente entra o papo de ajudar a direita. Oras, se o PT em oito anos não se interessou em efetivamente fazer uma profunda reforma agrária no país, porque questionar este fato - como faz o MST constantemente - seria jogar com a direita?

A verdade é de direita? Eu acho que não. Então, realmente, eu não entendo.

Plínio mostra que existe uma alternativa. Em uma sociedade conservadora como a nossa sabemos que não será eleito, mas o crescimento de sua campanha forçaria a inclusão do PSOL na mesa de negociações. Com peso e força, o PSOL poderia pleitear junto ao PT, poderia pressionar e ter peso para isso. Seria uma chance de trazer o PT, ou o governo, para a esquerda.

Mas muitos acham que o PSOL, PCB e cia deveriam simplesmente apoiar o PT, que isso traria o PT pra esquerda, bem, discordo. Apoiando o PT apoiariam seu discurso e o que demonstram concorrendo em separado é que existem outras propostas. E boas propostas.

Ainda, muitos gostam de dizer que o Plínio e gente do PSOL se ressentem do PT (o que é verdade em alguns casos, mas não todos), mas às vezes parece o contrário, que são alguns petistas que ressentem o fato de um novo projeto ter surgido com tanta gente boa (Ivan, Chico, Plínio, Temer, etc) que já não está mais no PT e vivem muito bem sem ele.

Discordar das idéias do Plínio são uma coisa, mas acusá-lo como fazem? Não dá. Aliás, boa parte das idéias do Plínio eram as mesmas do PT (e ainda são o sonho de muito militante) há alguns anos. Porque, hoje, o Plínio virou piada? Por defender o que o PT abandonou?

Plínio defende o que o PT costumava defender. Porque com ele é irreal e com o PT era a utopia de todo militante?

O PSOL tem falhas, e significativas, são várias, gosto, aliás, de citá-las sempre que posso, mas a falta de autocrítica dos companheiros petistas assusta. Lembrando que, SEMPRE, falo em alguns e não na totalidade.

Enfim, essa história toda de jogo da direita cansou. É infantil, demonstra um medo injustificável e uma veia ditatorial completamente imbecil de alguns militantes que deveriam abrir os olhos e compreender que o país é maior que o PT.
------
Comentários
18 Comentários

18 comentários:

Ricardo disse...

O problema é que o PT, por conta das alianças já conhecidas, já não fala mais em nome do PT... e cada vez menos... e cada vez mais tenta jogar as reivindicações da esquerda, promovida pelos movimentos, à submissão. São projetos de "governança" e não por participação e/ou demanda das classes populares. Esse mix ideológico está se tornando uma esmagadora máquina de ganhar eleições, com a participação do povo única e exclusivamente para o voto, sem a fomentação política para as discussões e o entendimento de um futuro mais justo e democrático e menos corrupto, num país em que a desigualdade, em todos os âmbitos, é assoladora, inclusive nas leis que regem os partidos e "regulam" as campanhas eleitorais. Acusar de "fazer o jogo da oposição" já está se tornando enfadonho. Afinal, qual é a oposição que eles querem?... Estão mesmo é fugindo ao debate e das críticas pertinentes. Séculos de dominação pela elite e coronelismo... e o que faltava era a parte reivindicatória unir-se, de bom grado, à esta mesma elite, e atolados com o pé na jaca, calando a mínima oposição e adiando as verdadeiras reformas para uma estrutura social mais avançada. Esse jogo já se tornou perigoso, em doses homeopáticas vai comprometendo o gotejamento de uma democracia. O PT se deixou levar por um caminho sem volta, a eterna briga dele é com a "oposição", pelo governo, não mais o comprometimento com a nação. E se duvidar, estão debochando disso.

AF STURT disse...

Em quase não defendo o PT e até sinto pena dos militantes (verdadeiros) do PT que perdem seu tempo dedicando-o a defender o partido...

Claro que for a extrema urgência estaria sim defendo essa "esquerda”... Porém não é isso que está acontecendo.O PT prefere apoiar o PMDB,com caciques eleitorais corruptos e reacionários em vez de apoiar uma candidatura do partido que mais defende o seu projeto e seu maior aliado em todos os tempos ,falo do PCdoB.Isso é admissível.Mas isso é só um exemplo...

O PT, e ai a critica também vai para seus aliados, como PCdoB, PSB e PDT, cada vez mais "endireita" e ainda muitos ficam com o discurso de "guerra fria" que é de esquerda e que tem uma direita que vai levar o Brasil para ditadura. Claro que tudo pode acontecer,até por que é uma DIREITA,mesmo que ela não assuma.Agora não precisa fazer terrorismo ,arma preferida dessa direita,alias de todas elas...

Então, o que eu queria dizer é que eu não defendo o PT pelo simples motivo: O PT transformou em um partido burocrata e de ordem burguesa, e como o leitor de cima escreveu, e está consultando o povo a cada dois anos (urnas). Mas não é nem mais a militância que está fazendo a diferença, nesse processo, e sim os marqueteiros.Não importa o que a militância faz,se isso for ruim para o projeto de governo e de seus aliados vai ser desconsiderado.
O PT não precisa de nós, ele tem os marqueteiros para fazer isso, e também não merece nossa defesa...
Caso o partido perder a eleição muitos dos seus líderes vão levar numa boa...

Ah Rapahel fiquei muito feliz que vc ainda está com Plínio (eu não estou, mas sem dúvida será muito importante Plínio ter um destaque nessas eleições), pensei que vc tinha voltado para o lado da esquerda do governo...

Em relação ao texto, vc fez a leitura certa, esse discurso de "auxilio da direita”, me irrita é muito. Pior é cada vez mais essa militância complica defendo pontos de seus lideres,que acredito, que não são as seus.Por exemplo li texto de um deles defendendo o código florestal do Aldo Rebelo...

AF STURT disse...

Ah,estou custando postar comentários,só depois de quatros tentativas que conseguier.Será por que?

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Eu tow com o Plínio até o fim, com minhas críticas e apontamentos, mas é o melhor candidato e o que tem o melhor projeto. Respeito o Zé Maria (militei no PSTU), mas discordo de muitos pontos, até mesmo organizacionais, respeito o Ivan Pinheiro... Mas fico com o Plínio!=)

O que eu adoraria é que a esquerda do PT conversasse com o PSOL e vice-versa, vão encontrar mais semelhanças que diferenças.

Quanto ao problema, é coisa do blogger, tem uns dois dias q tow com o memso problema.

Maurício Caleiro disse...

Oportunismo é pegar a performance do Plínio no debate e generalizar, como se representasse o comportamento usual do PSOL. Lá, de fato, ele, ao final, deixou claro sua posição, batendo ora em um, ora em outro lado.
Mas quantas vezes, nas duas últimas legislaturas, a bancada federal do PSOL votou com o PSDB e com o DEM, muitas vezes contra o interesse das classes menos favorecidas? Se isso não é fazer o jogo da direita, não sei o que seja...

Conceição Oliveira disse...

Só não entendi o seguinte: por que a escolha de print do Latuff para mim. No contexto deste print eu respondia ao Ministro Padilhando o que eu havia achado do debate, ou seja: engessado, chato e usei a imagem que o Latuff usou: chá na ABL é mais animamado. Assim, de modo isolado e fora do contexto, parece que faço coro a uma militância que vc representou no seu post (nem militante sou). Aliás meus tweets sobre o debate começaram defendendo o homem público Plínio.
A melhor análise do debate continua sendo a do Azenha.
Na minha opinião esse formato não é capaz de mostrar nenhum candidato.

robb disse...

Não é bem o Plínio que faz o jogo da direita, mas é que quando ele falta a verdade tornando os governos FHC e Lula como iguais ele faz sim o jogo da direita ao dizer que um é a simples continuação do outro quando qualquer pessoa de bom senso e boa vontade sabe que não é!

A grita da imprensa, as posturas da política externa, o imenso significado de um governo nacionalista e integracionista da américa do sul, que não quer desmontar o estado a qualquer preço e nem retirar direitos dos trabalhadores, que luta pelo crescimento do país ecnômica e politicamente (e isso não é apenas sorte pela maré de crescimento mundial antes da crise de 2008) - apenas para citar algumas coisas capitais, são as grandes diferenças de ação afetica entre os dois governos.

Quando o Plínio - além de apontar com razão e por direito - as falhas que obviamente existem - já que esse é um governo que precisou de muita acomomdação política para se manter e esteve (e ainda está) sob ataque violento da imprensa e dos interesses capitalistas por todo o seu tempo, limitaram o grau de mudanças concretos na política econômica.

Mas por fim isso se mostrou um acerto, pois governo de esquerda que quebra a economia ao tentar mudanças radicais não dura muito tempo.

E a conversa vai longe, mas citei só alguns fatos para constar.

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Maurício: E quantas vezes o PT não ficou contra os interesses dos trabalhadores? Taxou aposentados, não fez reforma agrária, aliados como o PCdoB ficaram a favor da reforma absurda do código florestal... Ao lado do DEM...

O PSOL procurou ao longo do tempo se manter ideologicamente coerente. Errou algumas? Sem dúvida. MAs querer colocar alguns erros em oposição a uma suposta pureza do PT é risível, o PT não jogou também com a direita? O PMDB é o que? De extrema-esquerda? E o PP de Bolsonaro, Maluf e cia? É melhor olhar primeiro pros próprios erros antes de criticar os dos outros e eu ou o primeiro a criticar duramente o PSOL em diversos aspectos.

Sabe o que me irrita? Quando critico o PSOL só recebo elogios. Quando falo mal da Marina, dos Tucanos, é só elogio, menos, claro, de Marinistas imbecis e gente da pior espécie. Mas se critico o PT, nossa! Parece um crime.

Nunca deixei de reconehcer os avanços do governo, admito-os todos, mas de forma alguma vou deixar de criticar e as críticas feitas ao Plínio e o PSOL, muitas vezes, são absolutamente injustas.

E, novamente, não sei o porque. Medo de um partido tão pequeno ou o que?

Conceição: Nenhum motivo em particular, apenas achei que o Latuff estava argumentando pontos bastante relevantes para o meu texto, e lendo tudo que ele vinha postando desde o debate, vi que ele concordava com as minhas opiniões - e vice-versa. Na verdade não tinha qualquer relação com você...

Se você quiser retiro os prints e coloco um pequeno aviso me retratando, pois não foi mesmo minha intenção. Não tive a intenção de deixar nada implicado, até mesmo porque você eu respeito bastante e não teria porque atacar de alguma forma, especialmente velada. Já deu pra reparar que eu sou bem direto nas minhas críticas.

Agora, seu "honestidade intelectual" no Twitter foi extremamente ofensivo. É bom antes ouvir o outro lado pra não atacar de graça por um mal entendido.

robb: O engraçado é que eu NUNCA ouvi o Plínio dizendo que eram iguais. Cansei de ler - e ver - entrevistas com ele deixando claro que não são a mesma coisa. Ele critica, Às vezes duramente, mas fica mais a cargo de elementos do PSOL às vezes perder a linha. O Plínio em si NUNCA vi fazendo tais declarações. Pelo contrário.

E eu enxergo grandes diferenças entre os governos!=)

Conrado disse...

Carta Capital: O senhor acha que o governo de Lula foi melhor que o de FHC, ou pior?

Plínio de Arruda Sampaio: Ah, de longe, muito melhor.

Carta Capital, 3 de fevereiro de 2010.

Niara de Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raphael Tsavkko Garcia disse...

Conrado: Valeu, tava atrás da referência!

Niana: É bem por aí!=) Não tem nada pior que patrulha, especialmente quando é do seu próprio lado.

Niara de Oliveira disse...

Duas ou três coisicas. O governo Lula é disparado o melhor governo que este país já teve. Ponto. Nem por isso voltarei a votar nele e nem votarei na Dilma. Porque ser o melhor diante de tantos governos horrorosos é relativamente simples. Bastava se vender como se vendeu. Não há nada que eu odeie mais nesse momento do que a tal "governabilidade". Por ela o Lula, o PT e todos que a defendem, mandaram Pa favas os escrúpulos, a ética e os princípios. Não há mais nada. Só essa disputa eleitoral idiota. Que nem democracia é de fato.
Tsavkko está certo. Pode criticar todo mundo, menos o PT, Lula e Dilma. Virou crime na blogosfera criticar esses três entes, mesmo que com razão. Ahhhh... Odeio mais essa patrula da esquerda na blogosfera do que a governabilidade.
Às vezes dá vontade de ir pra Patagônia, sabe? Quero um mundo onde se possa amar as pessoas, com respeito. E como é difícil respeitar a opinião do outro, não? Que coisa!!!
Desiste não, Tsavkko. A eleição vai passar e essa patrulha terá que recuar. Logo a governabilidade mostrará sua cara mais perversa aos movimentos sociais e à esquerda (a real, não a imaginária) e aí poderemos perguntar "foi para isso que elegeram a Dilma?", como já perguntamos sobre o Lula.

Niara de Oliveira disse...

Raphael: Poderias não errar o meu nome, FAZ FAVOR? Grata. =P

Raphael Tsavkko Garcia disse...

Hahaha, sorry, um typo infeliz!=P

NIARA!^^

Conrado disse...

Sobre o que a NiaRa escreveu: "Porque ser o melhor diante de tantos governos horrorosos é relativamente simples": Fernando Henrique Cardoso foi melhor que Itamar.

Itamar foi melhor que Collor.

Collor foi melhor que Sarney.

Sarney foi melhor que Figueiredo.

E acho melhor parar por aqui.

Em resumo: ser melhor que os outros não necessariamente faz de Lula um excelente governo, muito menos merecedor de continuidade.

É importante reconhecer os avanços. Assim como é importante os petistas reconhecerem os avanços do governo Fernando Henrique.

Coisa que nunca vi.

AF STURT disse...

Só um ponto:

Governo que quebra economia,com mudanças radicais não dura muito tempo.

Uai,se quebra e economia não dura mesmo,isso é Obvio.O que acontece é que são elementos externos e até ,internos - burgueses e capitalistas que fazem um boicote quebranco assim economia.E por que consequem?Por que não houve mudanças.Ou seja, não mudou o que temos que é uma ditadura economica.Por isso mesmo temos que lutar contra ela...

Ataque do capital e do imperialismo ao governo Lula,isso não existe,poís quem mais benefecia nesse crescimento ecomico no Brasil são o mercado e o capital interncaional.Eles não querem a fim do projeto Lula ,eles apenas querem o "endireitamento" dele,e nem prescisa mudar de governo, basta criar uma bancada e uma linha de acessores no governo com o mesmo pessamento deles (capitalistas) que vai ficar tudo bem.E é exatamente isso que está acontecendo...

Anônimo disse...

Quanto ao problema dos comentários no Blogger, tente mudar o sistema de comentários para o Intense Debate ou Disquus.

questionar disse...

Bastante lúcida as suas ponderações, Rafael! Acho que é uma ótima resposta para posts como o do Ricardo (do ig), e outros editoriais recentes. O que me assusta, neste sentido, é como setores considerados progressistas podem disseminar uma idéia tão perversa e pequena como esta, de que a candidatura de Plínio apenas faz favorece aos interesses da direita, quando o que está a serviço dos setores liberais e conservadores, neste caso, são as alianças estapafúrdias que impedem o Brasil de realizar reformas tão basilares e fundamentais para a construção de novos paradigmas de desenvolvimento (e não foi nestes dias em que a mídia divulgou estudos que comprovam que ainda somos um dos países com maior desigualdade de renda do mundo?). Concordo com você: a expressividade de candidatos de esquerda permitem o fortalecimento da mobilização de setores sociais mais progressistas, e pressionarão o governo da Dilma para a esquerda (já que não se pode esperar muito disso de partidos como PCdoB, PSB, PDT e cia, quem dirá de PMDB, PL e cia?)

Postar um comentário