Tsavkko Garcia, Raphael
Publication year: 2021

O que se viu na Paulista no último dia 2 foi um protesto seguramente maior que o do MBL, mas definitivamente menor que os protestos dos fascistas em 7 de setembro. Mesmo com amplo apoio ao impeachment, os 25-35% de apoiadores de Bolsonaro ainda conseguem colocar mais pessoas nas ruas que a fragmentada oposição.

E a razão (ou razões) é simples: Por mais que seja uma missão civilizacional derrotar Bolsonaro, o PT não é muito melhor, não é real alternativa. É o que tem pra hoje, mas não anima ninguém – ao menos não o suficiente para sair às ruas e correr o perigo de ser agredido ou de dar força ao partido que sempre tenta tomar a frente e fingir que é realmente oposição.

Vide o caso do Ciro no protesto – vaiado e quase agredido por petistas -, vide o caso dos apoiadores do PSDB agredidos pelos drones e bate-estacas do PT, os membros do patético PCO, em mobilização anterior. Diante das agressões, lideranças como a igualmente patética Gleisi Hoffmann dizem com todas as letras que os outros provocaram e tiveram o que mereceram.

Como alguém espera unidade com autoritários e violentos?

Full column at Revista Semana On’s website. Date of publication: 08/10/2021

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.