Tsavkko Garcia, Raphael
Publication year: 2016

Aproximar esses diferentes mundos é o primeiro passo para que a solidariedade venha naturalmente, mas sempre existirá a dor (mais) seletiva. Nada do que eu escrevi, porém, é uma justificativa ou legitimação da não-dor, mas simplesmente uma tentativa de explicar porque algumas manifestações de dor são maiores ou menores do que outras. Nem sempre as razões são simples, puro preconceito ou ausência de alguma dor.

Full article at HuffPost Brasil’s website. Date of publication: 29/03/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.